Menu Principal

Anúncio I

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Diversão em Caldas Novas [p10]

Estarei agora contando como foi o relato de viagem para Caldas Novas [Goiás] junto a família da Luciana.


Veja como foi a 10ª Parte dessa viagem, em que vimos muita água nas mais diferentes temperaturas.

Essas são as partes desse relato:


DIA 05 - Domingo [28 de Abril de 2019] - Cont.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 
Hotbum, Hot Park


Uma das atrações mais procuradas e adoradas do Hot Park, o Hotibum é garantia de diversão, tanto para as crianças quanto para os adultos. Além disso, aqui, mamães e papais não precisam se preocupar com a segurança dos seus pequenos, pois a atração conta com uma equipe de guarda-vidas.

Em uma área de 5.400 m², o Hotbum possui duas piscinas, oito toboáguas, um balde gigante e uma mega-estrutura com mais de 221 brinquedos, como sprays, jatos, rodas e cortinas d'água. Sem contar que todo o complexo é abastecido com as águas naturalmente quentes da região. Ou seja, além de toda a diversão, também é possível relaxar.

Turminha da Zooeira: diversão e aprendizado para criançada

Além de se divertir muito com as piscinas, tobogãs e as inúmeras outras atrações do Hotibum, a criançada ainda pode brincar e aprender com a Turminha da Zooeira.

A Turminha é formada por Juba, um lobo-guará que é também o líder do grupo, Blá, um tucano que adora conversar, Leia, uma baleia-bebê que sabe tudo sobre as águas, Lara, uma pequena arara que canta muito, Marina, uma tartaruguinha que sempre tem uma boa história para contar e Zira, uma onça-pintada que não se cansa nunca.

Com eles, a criançada poderá se divertir e brincar nas atrações do Hotbum e, ao mesmo tempo, aprender lições valiosíssimas sobre a importância da preservação da nossa natureza.

Fonte Pesquisada:
https://www.rioquente.com.br/hot-park/atracoes/hotibum
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 


Com as devidas explicações dadas, vamos voltar ao relato...

Ao invés de explorar o parque sozinho como fiz anteriormente, dessa vez resolvi ficar com o pessoal e entrei de cabeça nas atrações do Hot Park, a começar pela parte principal do Hotbum, que o Lorenzo tinha adorado.


Por fora o brinquedo já é imponente e incrível, mas sua magia está mesmo na parte de dentro. Ao entrar vi um show de jatos d'água que saíam de várias direções diferentes, aquela água do baldão que caía de tempos em tempos e ainda uma infinidade de coisas que dava pra se fazer subindo aquela estrutura enorme.

Além de ser projetado para as crianças, o Hotbum foi planejado de forma que o adulto que estivesse acompanhando os pequeninos também se divertissem. Me surpreendi com os vários toboáguas que estavam dentro dessa atração. 

Como não tirei fotos nessa hora, aí está uma que tinha tirado no início desse dia.
Inicialmente tentei acompanhar o Lorenzo, em especial quando ele descia pelos toboáguas [que sempre possuía um funcionário na entrada do brinquedo vigiando as crianças para não se machucarem].

Comecei pelos mais tranquilos e depois me aventurei nos mais desafiantes dessa área. Mas acabei não dando conta de acompanhar o Lolô porque ele se locomovia muito rápido. Saía correndo, passava pelas pontes, subia as escadas, descia algum dos escorregadores para crianças ou ainda algum toboágua rapidamente. O Lorenzo não parava nem por um segundo e já conhecia essa atração como a palma de sua mão.

A Luciana, que achava que estava grávida, preferiu apenas passear pela estrutura e pela parte de baixo, onde havia a piscina, para não forçar seu corpo ou se dobrar muito. Fiquei por algum tempo brincando com o Lolô e cheguei a ir em todos os toboáguas do Hotbum, com exceção dos escorregadores para as crianças pequenas.

O brinquedo é muito legal e agitado, saía água quente de alguns lugares e fria de outros. Era 100% movimentado e direto eu precisava tapar os olhos ou desviar a cabeça pra não ficar totalmente encharcado [eis o motivo de não ter levado o celular pra tirar fotos da parte de dentro desse local].

Depois de se divertir um bocado no Hotbum eu e a Luciana conseguimos convencer o Lorenzo [após muita insistência] a sair dali pra que eles [no caso, o Lolô, a Dona Graça e a Luciana] conhecessem ao menos mais uma ou duas atrações do parque [se fosse apenas pela vontade do Lolô acredito que o pequeno não iria conhecer nada mais além do Hotbum nesse dia].

Assim, seguimos para aquela área do Lazy River, ali deixamos a Dona Graça em um lugarzinho com sombra pra olhar nossas coisas, já que ela não queria nadar com a gente e entramos na atração do Giant Slide, que possuía aquela rampa enorme onde o pessoal descia de boia.

Notas: Como não tirei fotos desse lugar nessa hora, eis aí as que eu tinha tirado antes [quando ainda estava explorando o parque] pra quem estiver lendo esse relato se orientar melhor sobre qual atração estou citando agora:

Giant Slide:




Ali o funcionário falou que crianças pequenas como o Lorenzo não podiam brincar nessa atração e após ser pesado também fui barrado por ele, por ter passado dos 100 kg [nessa atração o limite de peso era 100 kg por pessoa e eu estava pesando 102 kg {abril de 2019} - Eh - Não tem discussão - Gordinhos não têm vez aqui - Passou do peso está cortado e pronto acabou!!!!].

Na hora não gostei muito, mas como regras são regras, respeitamos o que o indivíduo nos disse e preferimos nos divertir no Rio Lento do Hot Park, isto é, naquela atração do Lazy River.

Notas: Para se orientar melhor de qual atração é essa, vide as fotos abaixo, de quando eu ainda estava explorando o Hot Park:

Lazy River:




Enquanto eu fiquei em uma boia sozinho, a Lu ficou em outra junto com o Lorenzo, que aliás, também adorou a atração e se divertiu muito.

Nesse lugar, a piscina natural funcionava como um rio de profundidade mediana [um adulto como eu conseguia colocar os pés no fundo facilmente sem se afundar, mas de modo que boa parte do corpo ainda ficasse sob a água], que caminhava lentamente, de modo que a boia era sempre forçada a seguir apenas uma direção.


Em dado momento alguém me mostrou uma boia ainda maior e troquei pela que eu estava usando antes [vide a foto acima e compare com a boia da Luciana ou da menina ao fundo, por exemplo]. A atração é super divertida e nela a gente segue por um trajeto razoavelmente circular, que até passa por uma pequena caverna com uma cascatinha na entrada. São dezenas e dezenas de pessoas que direto e reto encostam suas boias uns nos outros.

Vez ou outra eu ainda tentava fechar a Luciana para que ela e o Lorenzo molhassem na hora de passamos por aquela cascatinha, em outras eu, que estava com dificuldade de ficar em cima da boia, acaba usando-a apenas como suporte para boiar mesmo.

Mais fotos:





A água era quentinha, gostosa, e como o percurso era bem grande, acabamos dando umas três, quatro ou talvez até cinco voltas antes de ir embora dessa atração.

[Estava tão bom e divertido que sequer fui capaz de registrar bem esse momento, afinal - apesar de registrar imagens uma câmera não consegue registrar o que sentimos enquanto estávamos nos divertindo por aqui!]

Perto das 16:00h nos preparamos pra ir embora. Nos secamos, fomos em algum lugar pra trocar nossas roupas e seguimos pra saída do parque. Ao passar perto daquele caminho que ia pro Hotbum o Lolô parou pra tirar uma última foto com a Lu junto ao bichinho do jardim que ele tanto gostava.



Após passar pelo mural de entrada da área interna continuamos nosso caminho, até chegar novamente a portaria do parque.




Dali eu tinha duas opções: Acertar com o pessoal do caixa em dinheiro ou ir em uma salinha de auto-atendimento, onde poderia fechar as contas do cartão magnético diretamente por um terminal eletrônico. Preferi a segunda opção:





O sistema era bem simples [quase como aquelas máquinas que a gente utiliza ao pagar o ingresso no cartão quando vamos no sistema]. Bastava passar o cartão magnético do visitante na máquina [era possível ainda adicionar outros em seguida, o que fiz, já que além do meu, também tinha que quitar o cartão da Dona Graça e o da Luciana].

Após isso se escolhia como se desejava quitar as dívidas, débito à vista, valor inteiro no crédito ou crédito parcelado. Optei por pagar pelo crédito a vista e consegui fazer tudo direitinho, mas ao finalizar a operação não saiu o comprovante. Por isso pedi a Lu para que chamasse um funcionário pra nos ajudar.

Assim que chegou, o rapaz disse pra ficarmos tranquilos e que bastava apenas que eu visse se o cartão do parque tinha ficado zerado, e assim o fiz. Como todos os três cartões que recebemos ficaram zerados, isso serviu como comprovante na hora que passamos pela catraca da portaria ao sairmos do parque.







Fora do parque e agora no estacionamento, tentamos pedir um carro pelo aplicativo do Moby, mas não deu certo porque não havia nenhum carro na região nesse momento. Então decidimos voltar de busão mesmo, por isso andamos mais um pouco. Pegando informação com as pessoas descobrimos que o ponto estava perto dali e que faltava pouco tempo pra passar algum ônibus indo em direção a Caldas Novas.





Demos muita sorte, pois o bus passou após poucos minutos de espera.







Entramos num ônibus bem velho e rústico, daqueles mais antigos. No caminho, após algum tempo na estrada, uma trocadora passou de banco em banco cobrando as passagens. Descemos em frente ao Hotel Triângulo, cruzamos uma esquina e já estávamos em frente ao nosso hotel.




Atravessamos a rua e fomos naquela loja das pamonhas. Ali comprei um quibe com uma Sukita pra mim e a Luciana e a Dona Graça comeram picolé. Por todo o percurso de volta o Lorenzo ficou dormindo.



Antes das 18:00h já estávamos de volta ao Morada do Sol. Como esse seria nosso último dia em Caldas Novas e no próximo apenas partiríamos de volta rumo a Minas Gerais, já começamos a guardar boa parte das nossas coisas nas sacolas e nas malas.



Como precisava lavar os óculos e no banheiro do quarto não era possível [pois não tinha detergente ou algo do tipo por lá] desci até o primeiro andar pra fazer isso. Aproveitei ainda pra tirar fotos dos hóspedes felizes curtindo a noite no hotel.




Sempre na parte da noite se tocavam músicas, o povo bebia, aproveitava as piscinas termais e em alguns dias da semana até participavam de bingo. Perto das 21:00h a Lu desceu pra ver sua mãe. Fui até elas poucos minutos depois.

Dali, saímos pra rua com o objetivo de comer um hambúrguer do Mc Donald's ou do Burger King, algo que a Lu estava com muito desejo de fazer. Então, andamos até umas duas ou três quadras depois daquele parque de diversões, numa área realmente lotada de restaurantes.


Luciana conversando com seu pai pouco antes de seguirmos nosso caminho.





Comemos no Mc Donald's rapidamente e começamos nosso caminho de volta, parando, claro, pra tirar algumas fotos pelo caminho, inclusive de um daqueles letreiros "Eu amo Caldas Novas", que ficam espalhados por toda a cidade.














Voltamos pro hotel às 22:10h, mas a Luciana apenas pegou seu PC e o levou pro quarto de sua mãe, pois precisava descarregar as fotos do celular da Dona Graça, que ficou totalmente travado porque a memória do aparelho estava muito cheia.

Perto das 23:00h levei água e pão para a Dona Graça e ajudei a Lu a buscar seu laptop enquanto ela levava o Lorenzo pro nosso quarto [nessa hora o Lolô estava dormindo].


Lorenzo comendo panetone.
Terminei de descarregar e separar as fotos do dia no PC, o guardei na minha mochila, tomei banho e passei protetor solar nas áreas queimadas do corpo [ombro esquerdo, parte de baixo da barriga e peito dos pés].








Nesse meio tempo a Lu organizou o resto das nossas malas e depois foi arrumar o cabelo. Já o Lolô passou seu tempo vendo desenhos pela TV. Dormimos às 1:00h. Como o post ficou extenso estarei continuando o relato no próximo post. Nele contarei como foi a nossa volta pra casa.

Para acessar a Parte 11 desse relato clique AQUI, na imagem ou no link abaixo:


Clicar: [Parte 11]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo