Menu Principal

Anúncio I

sábado, 4 de março de 2017

Intercâmbio no Uruguai [Parte 21]

Essa é a 21ª parte do relato do que fiz sobre meu intercâmbio no Uruguai.


Nessa parte conto como foi a minha visita ao Museo Histórico Nacional Casa de Lavalleja.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar o índice dessa viagem:

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

E agora a continuação do relato...

DIA 26 - Jueves, Quinta-feira [02 de Março de 2017] - Cont.

Após reunirmos e esperarmos um pouco pra ver se chegava mais alguém começamos com o nosso passeio e seguimos a pé até o nosso objetivo, que era bem pertinho dali.




Aqui conheceríamos o Museo Histórico Nacional Casa del Brigadier Gral Juan a. Lavalleja. Esse museu abriga uma casa colonial, construída em torno de 1783 e é a antiga residência da família Lavalleja. Possui ainda a biblioteca de Dr. Pablo Blanco Acevedo e a coleção de manuscritos do Museu Histórico Nacional. 

Estava estruturado em dois andares, em torno de dois pátios abertos. Em seu interior o museu ainda mantinha carpintarias, grelhas, pisos e revestimentos originais.



E começamos a explorar o primeiro andar...






A Dinora foi nos contando sobre o lugar e também algumas das coisas que aconteciam nessa época, e assim fomos observando de cômodo a cômodo desse museu.


















O lugar contava também com algumas estátuas e réplicas de canhões dessa época.






Ao observar tudo que havia no primeiro andar subimos a escadaria e começamos a explorar o segundo piso.










Dessa vez o foco maior estava nos objetos e nas pinturas de arte, e claro, em documentos oficiais da época colonial uruguaia.






Pude observar até mesmo alguns símbolos bordados na bandeira do país bem estilosos.



Continuando...
















E chegamos na última sala, que era uma espécie de "casa mobiliada ao estilo colonial da época".









E fim! Achei o passeio tão rápido que até cheguei a perguntar para a professora se existia mais alguma coisa para se fazer por aqui.

Ela me disse que eu poderia visitar o Mercado do Porto e também um casarão, mas como o casarão estava muito perto ela preferiu nos levar até lá pessoalmente. Como esse post ficou muito carregado estarei continuando com o relato na próxima parte.

Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar a próxima parte do relato:



Clicar: [Parte 22]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo