Menu Principal

Anúncio I

domingo, 14 de outubro de 2018

Passeando pelo Vale Europeu [p17]

No período entre os dias 07 e 14 de Outubro realizei uma viagem junto a Luciana com a São José para o seguinte destino: Vale Europeu c/ Curitiba, Beto Carrero World e Oktoberfest.


Confira agora como foi a 17ª parte dessa viagem, onde conto foi todo o percurso de volta até chegarmos em nossa casa.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 
Clique AQUI, na imagem abaixo ou no link para acessar o índice dessa viagem:



Clicar: [Índice]
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

Sem mais delongas, vamos ao relato...

DIA 07 - Sábado [13 de Outubro de 2018]


Levantamos às 7:40h, nos arrumamos, colocamos o resto das coisas que ainda faltavam nas nossas bagagens e descemos rumo ao refeitório para lanchar, mas antes de entrar parei e olhei as fotos que aquele moço tinha tirado.

No total eram 4 fotos e a pessoa podia levar quantas desejasse e só pagaria as que levasse. De quebra ele também estava vendendo um DVD com algumas filmagens dos passeios e os principais espetáculos do Beto Carrero.



[Essas são aquelas mesmas fotos que eu havia postado no decorrer do passeio, enquanto escrevia sobre o que fizemos no Beto Carrero]

Eis aí cada uma dessas fotos com um bom zoom:





Como gostei de todas as fotos resolvi levar tudo, inclusive o DVD, que eu poderia analisar depois com mais calma [de início eu não tinha gostado muito do que vi nele, mas após repensar um pouco incorporei muita coisa do DVD ao meu relato aqui nesse blog]. Em seguida tomamos o café da manhã.


Voltamos para o nosso quarto, verificamos se estávamos esquecendo de alguma coisa e  às 8:50h voltamos para recepção, onde entreguei a chave e fiz o check-out do hotel.



Um dos motoristas nos ajudou a guardar as malas mais pesadas no bagageiro e entramos no ônibus da São José.


Partimos às 9:00h, conforme o que estava programado pelo guia.



Após algum tempo pela estrada fizemos nossa primeira parada em Joinville, naquele mesmo estabelecimento chamado Rudnick, que tínhamos visitado uma vez num dos dias anteriores.




Ali comemos um lanche leve e tivemos a oportunidade de provar vários tipos de salames super gostosos que ofereceram para degustação nessa hora. Acabamos comprando alguns e ainda tivemos tempo para tirar uma foto juntos àquela linda cascatinha que ficava próxima aos banheiros:


Dentro de pouco tempo voltamos para o ônibus e seguimos pela estrada novamente.














Depois de um bom tempo pela estrada, agora às 13:00h, paramos em uma churrascaria de Curitiba (PR) para almoçar, o Nova Estrela Churrascaria. Entramos praticamente correndo no local porque assim que chegamos começou a chover um pouco mais forte.





Assim que entramos me separei da Lu porque os banheiros estavam em lugares diferentes e fui pegando minha comida enquanto não a via. Acabou que como o lugar estava super mega blaster abarrotado de gente [ao ponto de entrar o pessoal de uma excursão inteira da São José e nem parecer arranhar na quantidade de pessoas que já estavam ali].

Sentei em algum lugar sozinho e comecei a comer, só depois de algum tempo que a Lu me viu e me chamou para ir em outro lugar, onde estava o resto do pessoal [que eu dei bobeira e por algum motivo não tinha os visto].


Além do almoço que era self-service, direto passava algum garçom com algum tipo variado de carne, como patinho, maminha, alcatra, baby beef, picanha, costela, dentre outras opções. Pra nós que comemos uma comida quase sem tempero por praticamente toda a semana o almoço desceu muito bem e fiquei cheio ao ponto de recusar carne por várias vezes, porque nem dava conta de ver tanta comida.


Por sorte parou de chover quando saímos e assim deu um tempinho para respirarmos um pouco de ar puro antes de voltar para o ônibus. Além do estabelecimento em si o lugar também possuía um pequeno parquinho para entreter as crianças.


Às 14:35 nosso bus partiu novamente [acho que o povo estava com muita vontade de voltar para casa, pois não ocorreu nenhum problema relacionado ao atrasos das pessoas em todo o percurso de volta].



Para passar o tempo o guia resolveu colocar um filme pra gente assistir. O escolhido dessa vez foi o "Fala Sério Mãe".

Vídeo 64:


Por incrível que pareça, achei esse filme muito bom e fiquei entretido do início ao final. Normalmente os bons filmes nacionais costumam ter como tema a violência entre os policiais e os bandidos que moram nas favelas, mas esse foi uma exceção pra lá de excelente e é uma ótima recomendação pra quem não assistiu ainda.




Apesar de ter chovido um bocadinho durante o caminho isso não nos atrapalhou em nada e o ônibus foi seguindo seu percurso tranquilamente. Às 17:20h fizemos mais uma parada, dessa vez no Graal Petropen de Pariquera-Açu (SP).




Assim que acabamos de entrar vi uma maquete super legal e até gravei um vídeo dela:

Vídeo 65:


Dessa vez, como a gente estava sem vontade de comer nos limitamos somente a beber alguma coisa mesmo. Enquanto eu preferi tomar um pouco de iogurte a Lu preferiu tomar um suco em latinha.




Após comer saí um pouco e vi algo bem interessante, uma espécie de vila encantada, e como ainda tinha tempo a explorei um pouquinho. Enquanto tirava as fotos voltou a chover mais um pouco, mas nada que me atrapalhasse de terminar o que eu tinha começado:
















Ao ir para o lado de fora do Graal a Lu viu uma daquelas maquinhas de retirar bichinhos de pelúcia e resolveu tentar a sorte:



Vídeo 66: Tentativa 1


Vídeo 67: Tentativa 2




Duas tentativas, duas falhas! De acordo com ela seu irmão é fera nesse tipo de máquina e consegue retirar uma pelúcia praticamente a cada tentativa, com poucas perdas. Mas como nunca vi ele fazendo isso pra mim essa história está mais para uma lenda mesmo!



Saímos às 18:00h, a chuva não estava dando trégua e continuava chuviscando. Como o caminho de volta ainda seria muito longo o guia colocou outro filme pra assistirmos. O escolhido dessa vez se chamava "Uma ladra sem limites".

Vídeo 68:


Apesar de ser bem mais fraco que o outro que vimos, deu pra passar o tempo e talvez até rir um pouquinho. Às 20:50h recebemos um lanchinho da São José, basicamente alguns biscoitos que em sua maioria não estavam muito bons e um copinho de refri. Só comi alguns deles e deixei o resto misturado com as nossas coisas.



Vista da janela do ônibus nesse momento:




O ônibus seguia sua trajetória normalmente, mas algum zezão infeliz cabeção pessoa abençoada pelo capeta resolveu mijar pra fora do vaso e fez com que toda a parte debaixo [inclusive a cabine onde ficavam os motoristas] fedesse muito, ao ponto de terem de realizar uma parada improvisada em um posto de gasolina para limparem isso.



Tivemos de ficar parados de 22:00 às 22:27h por conta desse inconveniente. Nesse meio tempo aproveitei pra tirar uma selfie minha.



E continuamos mais um pouquinho pela estrada, até que às 23:20h paramos no Graal Batistella, em Itapeva (MG).



Nesse lugar me senti um pouco mal, talvez pela longa viagem ou até mesmo pela alimentação da estrada, que normalmente é de baixa qualidade [só costumam oferecer salgados pra onde quer que vamos]. Basicamente, um bocado de mal estar e muito cansaço. Ainda acabei fazendo bagunça e derrubando suco na mesa.



Só me limitei a comer o mínimo e voltei para o ônibus para tentar descansar um pouco.



E assim o ônibus continuou com sua viagem, mesmo ao virar do dia...

DIA 08 - Domingo [14 de Outubro de 2018]


Às 2:50h fizemos mais uma parada, dessa vez no Graal de Ribeirão Vermelho (MG). Ali fizemos o mesmo das outras vezes, comemos algum salgado ao menos para matar a fome momentaneamente, já que esse tipo de alimento tem muito pouca sustança.









Após comer até paramos para ver as lembrancinhas, já que as daqui estavam super legais.





Apesar de gostar delas não compramos nada porque os próximos dois meses, com certeza seriam um pouco mais difíceis! [Já que eu tinha deixado muita coisa no crédito para pagar depois e ainda teria de pagar um monte de despesas médicas por conta dos meus problemas e os da Luciana]



Ao voltamos para o ônibus aproveitamos ainda para pedir aos motoristas que parassem um pouco antes pra gente, na BR pra aproveitarmos o trajeto, conforme o guia tinha deixado, mas acabou que na hora eles disseram que não sabia nada disso e em outro momentos pedimos isso ao guia da São José, que deixou na boa, já que fomos espertos e colocamos as nossas malas por último quando estávamos descarregando elas no busão.

Às 3:37h fizemos nossa última parada, mas apenas nos limitamos a usar o banheiro e nem comemos nada. Nesse ponto da viagem o guia fraquejou e dormiu completamente, por isso os motoristas que fizeram o controle de entrada e saída dos passageiros e em pouco tempo continuamos o percurso de volta novamente.

Próximo das 6:20h visualizamos um lugar conhecido:




E pouco depois já estávamos recolhendo as sacolas que estavam no alto e as bagagens que ainda estavam no ônibus.




Descemos do bus e pegamos as malas, junto a uma moça que estava com sua filha [a mesma que fez o passeio do Cristo Luz com a gente]. Pedimos um Uber e ficamos esperando ele chegar. Nesse meio tempo, o que acredito ser o marido dela buscou as duas e elas partiram, e poucos minutos depois chegou nosso carro e seguimos rumo a nossa casa.

Às 6:30h finalmente chegamos ao nosso lar, mas ainda faltava muita coisa para se fazer, como por exemplo guardar tudo o que estava nas malas e nas sacolas, separar as coisas e ainda montar a tradicional conquistas da viagem, onde coloco quase tudo o que comprei em cima da mesa ou de algum outro lugar para tirar algumas fotos.

Nós estávamos com tanta fome que no meu caso parecia que não tinha comido nada na vida, de tão vazio que eu estava. Como a Lu não quis ir na padaria preferiu fazer alguns pães de queijo. Eu ainda estava super cansado da viagem e aproveitei pra tomar um banho pra ver se melhorava um pouco a situação.

Tirei um tempinho ainda para escrever alguns dos gastos que tivemos no crédito desde que meu dinheiro tinha acabado.



E aqui mais uma surpresa, dessa vez negativa. A Lu, que estava irritadíssima, brigou feio comigo por conta de algum problema em relação as malas [provavelmente porque eu ainda não tinha guardado as coisas] e chorou muito.

Fiquei puto nessa hora e discuti um pouco com ela também, o que só piorou ainda mais a situação. Fiquei nervoso ao ponto que sequer encostei nos pães-de-queijo que ela tinha feito quando chegamos.



Tiramos tudo da mala, sem praticamente trocar palavras um com o outro, guardamos tudo que precisava no seu devido lugar e pusemos numa cesta o que precisaria ser lavado. Ligamos o ventilador [pois o calor em Contagem estava insuportável], deitamos na cama, nos acalmamos, pedimos desculpas e descansamos até próximo das 9:00h.

Só depois desse momento que comi alguns dos pães de queijo! Agora mais tranquilos a Luciana aproveitou ainda pra comer alguns dos biscoitos que tinha comprado na Casa do Chocolate.



Achei eles meio duros e não gostei muito. Após levantar comecei a organizar as conquistas da viagem, mas parei antes de terminar de fazer isso porque saímos para almoçar num restaurante próximo da nossa casa.





Lá comemos o tradicional e delicioso almoço mineiro, com o bom e velho feijão marrom e a saudável colher, que gosto tanto!

Ao voltar tirei a foto das conquistas desse passeio:



Dos souvenires adquiridos:


Na hora cometi um erro e coloquei junto o pratinho com o nome Blumenau, na verdade esse souvenir seria dado de presente para a minha tia Sandra.
E por fim, como ficou a minha coleção atualmente [Outubro de 2018]:



Menos do que desejo, mas cada vez mais bonita e cheia de itens. Após isso descansamos mais um pouco, descarreguei as fotos dos celulares e organizei as coisas no meu PC para facilitar na hora de escrever o relato posteriormente. O que ocorreu depois disso já é outra história.

Fim da viagem!


Boa sorte...

... e até a próxima viagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo